quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Minha fístula parou!

Lembram-se do post sobre a fístula? Ali a gente conheceu a "famosa". Mas e se a sua já está lá toda pomposa no braço e um belo dia resolve parar?? Muitas vezes você nem vai notar e quem vai perceber e dizer pra você será alguém da enfermagem na hora da punção.
Sem desespero!
Converse com o/a enfermeiro(a), acalme-se, converse com o médico e junto com ele decida se vai ter que passar um cateter de novo até uma nova fístula ser confeccionada ou vai poder reaproveitar/desentupir aquela fístula rapidamente.
Por que a fístula para??
Porque ela não é um vaso natural e a sua simples confecção e presença já é motivo mais que suficiente para aquele vaso ficar sem fluxo e "parar". O fluxo enorme e acelerado dentro de uma veia com o tempo (meses/anos) acaba deteriorando a estrutura daquele vaso, e uma hora ou outra, mais cedo ou mais tarde, algo ruim acontece. Uma trombose (coágulo que obstrui o fluxo) e um estreitamento no interior desse vaso são os principais motivos da parada do fluxo ou sua diminuição. É o cirurgião vascular quem vai decidir em última análise o caminho a seguir. Converse atentamente com ele.
E de resto, lembre-se, não é o fim do mundo e essa não é uma coisa sem solução.

5 comentários:

  1. Prezado Dr.em que ocasiões se faz uso de prótese de PTFE para acesso em HD?Qualquer paciente irc em terapia dialítica com falencia de acessos via cateter e fav nativa sem possibilidade de diálise peritoneal nem de transplante,pode se beneficiar deste implante ou há contra-indicações?Dr.qual é o tempo mínimo de espera para puncionar uma fav de PTFE após o implante?Li na internet sobre uma prótese de ptfe rapidax que pode puncionar após 24 horas eliminando a necessidade de cateter temporário isto é real?Desde já agradeço a atenção e ficarei muitíssima agradecida se puder me responder.Grata.Ana Paula

    ResponderExcluir
  2. Sempre se deve preferir o uso de fístulas nativas, Ana Paula. Nos EUA até bem pouco tempo atrás as próteses eram extensamente utilizadas por diversos motivos, dentre eles a maior facilidade de se colocar em vasos difíceis, uma taxa de sucesso primário (primeiras 2-4 semanas com frêmito) melhor, entre outros.
    O problema das próteses é o custo alto e a duração e qualidade inferior quando comparado a um vaso nativo. Naquele país deu-se um movimento muito forte de retorno às fístulas chamado Fistula First. Hoje as fístulas nativas jà voltaram a ser bastante utilizadas.
    Na prática clínica atual no Brasil, utilizam-se as próteses em vasos difíceis, em que as fístulas nativas não deram certo, ou em pacientes idosos com vasos ruins. O tempo de punção após a confecção em tese é mais curto, pois não é preciso esperar a maturação da parede do vaso (já está pronto). Mas é prudente esperar alguns dias para que os tecidos desinchem e se "agarrem" melhor ao vaso artificial para diminuir a chance de hematomas, que podem até "parar" o vaso. Em situações de urgência o vaso pode ser puncionado até no dia seguinte. Depende de quanto tempo você tem.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Dr. Por que o SUS não cobre o implante da prótese de PTFE? DR. para que serve esse tal de FAEC(fundo de ações estratégicas e de compensação) ligada ao sus?Rafael

    ResponderExcluir
  4. Não sei e não sei, Rafael.
    Esses temas sobre custeamento não são minha praia.

    ResponderExcluir
  5. A minha fistula
    parou o q eu faco to muito nerveso

    ResponderExcluir