sexta-feira, 16 de julho de 2010

Fístula arteriovenosa


Nossas veias não servem para fazer hemodiálise. É o que eu sempre digo para os pacientes. Elas não tem fluxo de sangue e resistência suficientes.
É preciso que se faça uma veia nova. A "fabricação" é geralmente através de uma cirurgia pequena (a incisão muitas vezes é menor que 5 cm) com anestesia local. A técnica é ligar um vaso arterial (maior fluxo, maior pressão, mais resistente) a um vaso venoso (parede frágil, pressão baixa e fluxo pequeno) para que essa veia ganhe resistência e fluxo sanguíneo. Depois de 30 dias do procedimento, a veia está pronta para ser puncionada (pelas agulhas de hemodiálise), com fluxo adequado e paredes resistentes. Isso é o que se chama de fístula arteriovenosa.
A foto acima é de uma fístula antiga, com mais de 5 anos, que se dilatou com o passar do tempo. Isso é inevitável, já que o vaso não tem a mesma camada muscular das artérias e acaba, ao cabo de alguns anos, por dilatar e às vezes formar aneurismas. É imprevisível se este ou aquele paciente vai ficar com a fístula dilatada, feia, etc. Só o tempo diz.
A fístula é muito importante para o indivíduo que faz diálise, porque sem ela, não se faz uma diálise boa, e às vezes, não se faz diálise alguma. Os cuidados a serem tomados pelo paciente são a lavagem adequada da região da fístula antes da hemodiálise e a proteção do local contra traumatismos.
A agulha que punciona a fístula é especial para isso e é grossa, sim, e dói, sim. Mas é só no começo que se sente dor pra valer, depois fica-se acostumado. Muitos não sentem dor alguma. O estado psicológico conta muito nessa percepção da dor.
Quanto mais prática se tem no uso dessas agulhas para a punção da fístula, melhor. É por isso que funcionário novato de clínica é temido pelos pacientes. Mas, convenhamos, ele tem que aprender em alguém, porque um dia ele vai ser experiente.

6 comentários:

  1. eu não axo justo um tratamento tao delicado sofrido e a gente ainda tem q tolerar funcionario novo em nos.só sei q não sou hamister

    ResponderExcluir
  2. Temos que entender que todo profissional esperiente um dia foi novato, e as vezes um profissional novo na empresa tem mais humanidade que os antigos.

    ResponderExcluir
  3. faço hemodialise a 8 meses em salgueiro pe, mas nao acho certo fica mudando de enfermeira, para colocar as agulhas,tem umas, que erra ate o peso que tem que perde,e cria ate ematoma... era bom uma so enfermeira sempre colocar as agulhas sempre no mesmo paciente...que ja ficava experiente com a veia.beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fique tranquila, Maria. Isso do mesmo funcionário puncionar quase sempre acaba acontecendo.

      Excluir
  4. Sou téc.de enfermagem em vitória da conquista e to trabalhando em uma clinica de hemodialise ja um mês na verdade fazendo um teste no teste teorico fui aprovada,hj foi minha primeira pução fiz com maior cuidado com medo para ñ doer o pacinte foi super tranquilo e me passou muita segurança sei que é dificil pra vcs que passa por essa situação só que como Maria deseja ai é complicado possa ser que essa enfermeira que já está acostumda possa sair ou acontecer um emprevisto e ai? quem vai fazer o trabalho? to gostando de ta trabalhando nesse setor e to sempre procurando estudar e esta vendo sempre a melhor maneira de ajudar os paciente na qual eu estou cuidano no momento bao sorte gente!!

    ResponderExcluir
  5. Meu pai é transplantado renal há 10 anos e nessa semana levou uma pancada no braço e fraturou um osso do braço que tem a fístula, por conta disso não pode ser engessado e está com uma atadura, mas agora ele está sentindo dor na fístula e não no osso fraturado.. O que podemos fazer para a dor passar?

    ResponderExcluir