sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Cross-Match ou Prova Cruzada no Transplante Renal

O candidato a transplante renal, além da tipagem HLA, também faz a prova cruzada. É o exame que põe em contato o soro (parte do sangue sem as células) do receptor com células do doador e analisa o resultado. É uma prévia do que acontecerá após o transplante: células do doador (o rim enxertado) em contato com os anticorpos pré-formados do receptor. Caso haja morte de células do doador provocada por ação de anticorpos do receptor, a prova cruzada é positiva, e isso é péssimo porque praticamente inviabiliza o transplante entre essa dupla.
No caso de uma dupla com doador vivo alguns centros tentam reverter esse problema usando imunossupressores com bons resultados.
O receptor desenvolve anticorpos contra possíveis doadores principalmente através de transfusões sanguíneas, gravidezes e transplantes anteriores, que são momentos em que o organismo entra em contato com tecidos estranhos a ele, desencadeando a formação de anticorpos.

Um comentário:

  1. Olá, blogueiro (a),

    Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.

    Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.

    Acesse http://bit.ly/cMyN1F e saiba mais.

    Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Atenciosamente,

    Ministério da Saúde
    Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude

    ResponderExcluir