quinta-feira, 1 de julho de 2010

Síndrome Nefrótica

O conceito de síndrome nefrótica inclui perda de proteína na urina (proteinúria) maior que 3,5 g em 24 horas (pode-se completar com: a cada 1,73 m2 de superfície corpórea) somado a albumina baixa no sangue, edema e saída de gordura pela urina (lipidúria). É consequência de doença glomerular primária ou secundária a outras doenças. São inúmeras as causas de síndrome nefrótica e dependendo da faixa etária as mais comuns são a doença por lesão mínima nas crianças, e as glomerulopatia membranosa e glomeruloesclerose segmentar e focal nos adultos. A causa secundária mais comum de síndrome nefrótica e talvez a mais comum globalmente é a nefropatia por diabetes.
Explicando melhor, os glomérulos, devido à lesão causada pela doença subjacente, perdem a capacidade de conservar as proteínas no sangue e passam a perdê-las na urina, causando, com isso, a queda da sua concentração (eg,albumina) no sangue. A pessoa incha por vários motivos, um deles é que a escassez de proteínas no sangue facilita a perda de água para fora dos vasos sanguíneos, favorecendo o inchaço. Devido a um mecanismo complexo essa baixa de proteínas causa um aumento no colesterol e até mesmo o aparecimento de gordura na urina em alguns casos.
A síndrome nefrótica não deve ser encarada como uma doença e sim como um conjunto de manifestações causadas por uma doença que acomete os rins, mais especificamente o glomérulo.
O profissional mais indicado para diagnosticar e tratar esses casos, independente da causa, é o nefrologista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário